Como diria o grande poeta francês Victor Hugo, pode-se resistir à invasão de exércitos, mas não à invasão de ideias. É com esse propósito e foco que inauguramos o Blog do IFL no portal Infomoney: debater ideias e assuntos que estejam na pauta das discussões no Brasil (/assuntos/brasil) e no mundo.

 

O IFL (Instituto de Formação de Líderes) é uma entidade sem fins lucrativos que tem como objetivo a formação de jovens lideranças com base nos ideais de livre mercado, liberdade individual, respeito ao Estado de Direito Democrático e à Propriedade Privada. Através dos nossos eventos (/assuntos/eventos) e produção de conteúdo, buscamos fomentar o debate com políticos, empresários, acadêmicos e entidades de classe, independente de visão ideológica e política, com o intuito de impactar  e incentivar a discussão de ideias para a melhora do cenário político, econômico e social do país.

No Brasil atual, certamente enfrentamos enormes desafios, talvez os maiores dos últimos 30 anos. Isso que, em se tratando de Brasil, desafio e crise (/assuntos/crise) parecem ser palavras que não saem do dicionário canarinho. No ambiente econômico, os anos de políticas econômicas equivocadas nos levaram a maior recessão da história, com queda acumulada de 9% no PIB entre os anos de 2014 e 2016. A chamada “nova matriz econômica” implementada desde 2008, marcada pela expansionismo fiscal, juros (/assuntos/juros) artificialmente baixos, crédito barato fornecido por bancos (/assuntos /bancos) estatais (/assuntos/estatais) e câmbio desvalorizado, que de nova só havia a tentativa frustrada de uma trajetória de sucesso, mergulhou o país em um cenário de estagflação e de alerta. Os dados econômicos resultantes não mentem ao desenvolvimentismo adotado pelo governo (/assuntos/governo) anterior: crise fiscal, desemprego (/assuntos/desemprego) em alta, renda real em queda e confiança do empresário e consumidor em níveis assustadoramente baixos.

Com o novo governo, as perspectivas, pelo menos do ponto de vista econômico parecem estar em rota de recuperação, mas ainda longe do ideal. O crescente foco à aprovação da PEC do Teto de Gastos e à votação no Congresso (/assuntos/congresso) da reforma da Previdência demonstram um esforço fiscal capaz de amenizar, pelo menos por ora, a trajetória galopante de aumento da dívida estatal. A inflação controlada, com previsão de ficar abaixo do centro da meta em 2017, também contribui para a menor incerteza no cenário dos próximos meses. Por fim, as reformas estruturais, como a trabalhista e a tributária, essenciais para trazer ganhos de produtividade à economia (/assuntos /economia) estão na pauta das discussões do Congresso e podem ser votadas até o final do ano.

No cenário politico o momento parece ser ainda mais desafiador. A desconfiança da população com a classe política, os rumos da Lava Jato e a aproximação das eleições de 2018 trazem um ambiente de incerteza e turbulência em Brasília. As especulações sobre a tal “lista do Janot”, que promete citar uma infinidade de politicos do primeiro escalão do governo, dominam as discussões nas galerias das Casas em um momento em que o Brasil necessita de um Congresso focado no debate e votação das reformas estruturais.

Por outro lado, a grande maioria da população, ainda manchada pela dicotomia vivenciada nas eleições presidenciais de 2014, pouco contribui para o debate dos rumos do país. As discussões, marcadas por rótulos simplistas e ultrapassados, como os conceitos de direita e esquerda, só aumentam a voltagem da tensão no país. Um exemplo que reforça esse momento é o próprio tema da reforma da previdência. Não parece haver um debate público sobre a reforma, com argumentos concretos dignos de quem se debruçou sob o tema e consegue avaliar os benefícios da proposta elaborada pelo governo. O que há são trocas de acusações de ambos os lados (favorável ou contrário) sem qualquer precedente.

Diante de tais fatos, reforçamos o que foi mencionado no começo desse breve artigo: precisamos incentivar novamente o debate de ideias e o projeto de país que gostaríamos de ter. Para isso, utilizaremos essa página para que associados do IFL e convidados possam discutir e opinar sobre os temas que estão em pauta no país. O nosso objetivo será sempre o mesmo: construir um Brasil mais livre, próspero e sem preconceitos.

Miguel Furian Campos – Presidente do Instituto de Formação de Líderes de São Paulo

neoside

Author neoside

More posts by neoside

Leave a Reply